LIVRO REPORTAGEM

O que é um Livro-Reportagem?                    

                O livro reportagem é um produto híbrido que mescla jornalismo e litaratura. Se caracteriza por dar maior ênfase no assunto focalizado, buscando antecedentes, causas, consequencias, suporte especializado  e o aprofundamento do fato.    

           Sua aplicação é não-periódica. Mas possui uma atualidade relacionada ao seu tema. Isso signifca que os livro-reportagem geralmente abordam assuntos que se estendem ao longo da história e são fundamentais para entender a contemporaneidade.    

           A organização de um livro-reportagem é feita por partes e em capítulos. Como não há o limite de espaço, comum nas reportagens de revista e jornal, o autor pode abordar todos os aspectos envolta do tema principal, detalhando e contextualizando cada um.    

                A medida em que seu conteudo se aproxima da veracidade dos fatos, e tem compromisso jornalisticos com ela, o livro reportagem se afasta da literatura. A narrativa mantem sua fluência baseada em num romance, mas cada informação deve ter o compromisso com a verdade e a realidade.    

                O tratamento de um livro reportagem também é diferenciado. A linguagem, montagem e edição desse genero jornalístico possui características próprias, que foram se delineando com o tempo.       

              Os repórteres são os que mais se aproveitam do livro-reportagem.   É nesse gênero jornalistico que eles encontram a oportunidade de mostrar um panorama de uma situação de forma ampliada horizontalmente, com apresentação de mais dados, citações e fontes, e verticalmente, ou seja, aprofundando o tema em questão.   

"Rota 66", de Caco Barcellos

              Um exemplo é o jornalista Caco Barcellos. Ele é o autor do livro Rota 66, que lhe custou oito anos de pesquisa, muitas noites de insônia e várias ameaças e que fala sobre a polícia que mata em São Paulo. A investigação levou à identificação de 4.200 vítimas, todos jovens e pobres, mortos pela Polícia Militar de São Paulo.   

          Depois do lançamento do livro, Caco passou um período fora do Brasil, pois sua vida corria risco – o livro irritou profundamente algumas esferas, sobretudo a dos coronéis da polícia militar.    

Fernando Morais é o autor de “Chatô, o Rei do Brasil”

         O livro de Fernando Morais traz a história da vida vertiginosa de um dos brasileiros mais poderosos e controvertidos deste século. Dono de um império de quase cem jornais, revistas, estações de rádio e televisão – os Diários Associados – e fundador do MASP, Assis Chateaubriand, ou apenas Chatô, sempre atuou na política, nos negócios e nas artes como se fosse um cidadão acima do bem e do mal. Mais temido do que amado, sua complexa e muitas vezes divertida trajetória está associada de modo indissolúvel à vida cultural e política do país entre as décadas de 1910 e 1960, magistralmente recriada neste Chatô, o rei do Brasil.

“Do golpe ao Planalto”, de Ricardo Kotscho

                Outro exemplo marcante, é o livro reportagem “Do Golpe ao Plananto”, escrito pelo jornalista Ricardo Kotscho.   

        Em quarenta anos de profissão, Ricardo Kotscho deixou sua marca nas redações de grandes jornais brasileiros. Nessas quatro décadas de jornalismo, teve participação ativa na cobertura de acontecimentos que, narrados a partir da ótica das redações e do corpo-a-corpo da reportagem, resultam num rico panorama da história recente do país, contada aqui com todas as letras.    

    

  

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s